Mudanças do clima: as previsões do IPCC para a América do Sul

Entre as projeções do órgão da ONU para a região estão o avanço da seca no Nordeste, na Amazônia e no Centro-Oeste. Mudanças afetarão vários setores, incluindo a agricultura.

Relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, sigla em inglês) publicado nesta segunda-feira (9) conclui que os seres humanos são responsáveis por um aumento de 1,07°C na temperatura do planeta.


É a primeira vez que o IPCC - um órgão da Organização das Nações Unidas (ONU) - quantifica a responsabilidade das ações humanas no aumento da temperatura na Terra. As conclusões estão no documento "Climate Change 2021: The Physical Science Basis".


Os pesquisadores também fizeram previsões regionais, de qual será o impacto das mudanças no clima. Entre as projeções para a América do Sul estão:


Crescimento na duração das secas no Nordeste brasileiro;

  • Aumento no número de dias secos e na frequência das secas no norte da Amazônia brasileira;

  • Número de dias com temperaturas máximas superiores a 35°C na Amazônia aumentarão em no mínimo 60 dias por ano até o final do século (podendo passar de 150 dias em um cenário mais extremo);

  • Mudança no regime das monções no sul da Amazônia brasileira e em parte do Centro-Oeste, com atraso nas chuvas torrenciais;

  • Crescimento de secas agrícolas e ecológicas no sul da Amazônia brasileira e em parte do Centro-Oeste se a temperatura global aumentar em 2°C ou mais;

  • Crescimento da seca, da aridez e/ou das queimadas no sul da Amazônia brasileira e em parte do Centro-Oeste. Mudanças afetarão uma ampla gama de setores, incluindo a agricultura;

Veja as principais projeções do IPCC para a América Central e do Sul e, mais abaixo, os detalhes para cada uma das sub-regiões:

Conclusões para toda a região

Temperaturas:

  • Alta confiança de que as temperaturas médias provavelmente aumentaram em todas as sub-regiões e continuarão a aumentar a taxas maiores do que a média global.


0 visualização0 comentário