Confira as melhores maneiras de prevenir e tratar a acne



Apesar de ser mais comum na adolescência, as acnes também podem acometer pessoas na idade adulta, principalmente as mulheres. Existem diferentes graus desse problema de pele, por isso é sempre importante consultar um especialista de confiança para fazer o melhor tratamento possível. Ao “Haute Living”, a dermatologista Purvisha Patel dá algumas dicas para prevenir e cuidar da pele acneica.


Cravos

De acordo com ela, tratar os comedões – como são chamados os cravos – com esfoliantes é uma ótima maneira para amenizar a quantidade e prevenir o surgimento de novos. Escolha sempre o produto certo para o seu tipo de pele e faça o uso entre uma e duas vezes por semana.


Outras alternativas recomendadas, e que podem trazer resultados ainda mais eficientes, são os peelings químicos e tratamentos a laser, capazes de reduzir os poros. Ambos os tratamentos devem ser realizados por um especialista.

Para o tratamento, Purvisha recomenda uma rotina adequada de skincare que inclua o uso de adstringentes ou tônicos de limpeza.


Acne

Cuidar da acne é um processo manual que requer uma rotina de cuidados especiais, incluindo home care e tratamentos com profissionais. De acordo com a dermatologista, é importante manter a pele esfoliada – cerca de duas vezes por semana – e limpa duas vezes ao dia com produtos específicos. Além disso, se deve evitar apertá-las para não ocorrer inflamações e até mesmo causar manchar e cicatrizes.


Acne cística

A acne cística tende a se formar mais profundamente na derme e se manifestar pelo rosto, costas, pescoço e colo. Normalmente, são internas, ou seja, não há uma pústula ou “ponta”, e acometem pessoas na casa dos 30 anos. É causada por oclusão folicular, crescimento excessivo de bactérias e fungos, produção de sebo e inflamação.


A busca por um profissional é de grande importância nesse caso. Para manter os cuidados, a dermatologista indica o uso de produtos esfoliantes que obstruem os poros, amenizam o acúmulo de óleo, bactérias e fungos na pele. A espironolactona, um diurético hormonal que diminui a produção excessiva de óleo, também é uma alternativa para evitar a formação de cistos profundos.


Aderir aos peelings químicos e lasers também são boas opções para esfoliar a pele e reduzir as glândulas sebáceas para tratar a acne cística. Além disso, vale apostar em cremes tópicos com retinol e tretinoína, ácidos que ajudam a esfoliar a pele evitando a formação de cistos.


Manter a alimentação saudável também é fundamental. “Nós realmente podemos influenciar nossa pele com o que comemos. Todos nós precisamos de dois litros de água, 8 horas de sono, multivitamínicos e probióticos para ajudar na saúde da pele. Pessoas com acne cística se beneficiam com a redução dos laticínios e do açúcar em suas dietas.


Parar de consumir esse produtos e tomar um probiótico, pode ajudar a diminuir a acne cística até certo ponto. Essas mudanças no estilo de vida, juntamente com os medicamentos convencionais administrados por um dermatologista, aumentam a eficiência do tratamento”, esclarece Purvisha Patel.


Acne hormonal

Acne hormonal acontece devido aos picos de progesterona, principalmente durante o período menstrual, que resultam no aumento da produção de sebo. Esse tipo de acne também pode acontecer pelo uso de DIUs ou de algumas pílulas anticoncepcionais. O diagnóstico feito por um profissional é o ideal para um tratamento com medicamentos orais.


Manchas pós-acne

Para evitar manchas e cicatrizes, vale investir em produtos que contenham retinol, vitamina C e E e ácido ferúlico. Além do uso diário de protetor solar para seu tipo de pele, inclusive em casa.




0 visualização0 comentário